Teilhard sentiu sobre si, como uma pesada cruz, todo o peso de um isolamento cósmico, toda a angústia e desespero dos que deram a volta ao cárcere sem encontrar onde sair. Por isso, obsessivamente, tagicamente, interroga, interpela e incógnita do futuro humano, que visto à distância, se apresenta fechado, tumulado num planeta moribundo: vimos os limites da humanidade, percebi o negro e o vazio à volta da Terra. Teilhard de Chardin assume neste passo a condição humana na plenitude, na finitude de sua assência. Na sua perspectiva, como diz e rediz em multíplos de seus escritos, a falência e a morte podem aparecer como acidentes estatiscamente inevitáveis à escala individual; mas á escala do todo revelam-se como inadimissível escânda-lo: O fim total não é da mesma ordem que os fins elementares. Omega nasce desta necessidade de dar inteligibilidade ao mundo, justificar o seu esforço e alargar os limites do fenômeno até às praias longínquas da revelação. Vértice soberano desta suprema síntese, Omega tem imensa grandiosidade e força atrativa capaz de manter a irreversibilidade universal. Irreversibilidade significa intérminos horizontes para adiante, convergência para uma estrela que cintila em profundos longes de luz. Omega é essa estrela, esse ponto-cósmico-divino, absolutamente requerido para dar consistência e inteligibilidade ao universo e justificar todo o seu ciclópico labor.

Acção e Sentido em Teilhard de Chardin Epopeia Cósmica do Futuro Humano

29,40 €Preço
  • ISBN: 9789727714285

    Edição ou reimpressão: 04-2003

    Editor: Instituto Piaget

    Idioma: Português

    Dimensões: 159 x 234 x 49 mm

    Encadernação: Capa mole

    Páginas: 536

    Tipo de Produto: Livro

Aceitamos

Show More

Horário de apoio a cliente

2ª a 6ª feira das 10h00 às 20h00

sábado das 11h00 às 19h00

  • Instagram Espiral
  • YouTube espiral canal
  • Espiral Twitter
  • Espiral Facebook
  • Site espiral.pt